domingo, 12 de abril de 2015

É NOITE...









É noite, no silêncio da minha tão calma vida,
Uma pausa para o descanso na tão dura lida,
A paz se aproxima, e encosta de mansinho,
A segurança, espreita o ambiente, contida,
A tristeza, se afasta e se distancia de fininho,
Mas uma palavra dura causa um embaraço,
Um golpe inesperado, trava os meus passos,
Uma lágrima rola, e se transforma num laço,
O coração sangra e desorganiza o compasso,
A esperança em Deus, só eu mesmo refaço.
.
É noite, na quietude do meu pequeno quarto,
Meu grande amigo e sempre fiel companheiro,
De palavras, boas e bonitas, eu já estou farto,
Sempre falo e desabafo com você primeiro,
Você é quem me escuta antes que eu parta,
Que amizade é essa, meu querido travesseiro?
Ecos de tristezas, provocam o meu peito,
Gritos rompem o silêncio e assustam o leito,
O pavor da decepção me toma e pega de jeito,
Só fiz o bem, mas é como se o mal tivesse feito.
.
É noite, num caminho longo e tão duvidoso,
Espinhos que marcam e rasgam a carne,
Infortúnios sangrentos, me deixam no osso,
A poeira da estrada, ataca as vistas e arde,
Perigos constantes, fazem esquecer a arte,
Negativas e indiferenças também fazem parte,
Os dias ficam longos e as horas se estendem,
A dor muitas vezes, atinge a própria mente,
Mas o retrospecto, não está marcado na lente,
Tudo fiz só para ver sorrir quem não compreende.
.
É noite nas encrusilhadas da vida, duras feridas,
Marcas que nunca mais se apagarão, dores contidas,
O sorriso esquecido anuncia, o semblante partido,
O amor desprendido foi jogado no lixo, e pisoteado,
Como uma moeda sem valor foi duramente golpeado,
Grossas gotas de sangue, marcaram a densa corrida,
O prêmio sempre tão bem anunciado, foi invertido,
No limite da dor, a humilhação como recompensa do amor,
Quem desfruta do bem, golpeia o bem feitor,
Com uma naturalidade táo obtusa que até dá pavor.
.
Mas, é dia, é dia, é dia no coração que ama,
Que anota o duro recado, e jamais inflama,
Que embora tenha sido ferido de morte,
Embica seu barco na direção do norte,
Busca forças para superar a triste sorte,
Abre os braços e coloca um sorriso na face,
Ao ver sorrir quem goza da vitória, e nem sabe,
De quedas e tropeços, só conhece o avesso,
Não entende a dimensão do sincero amor perfeito,
E abraça contente, quem lhe faz sangrar o peito

Nenhum comentário: